Filme sobre a Bruna Surfistinha? Por quê?

Bruna Surfistinha ajuda em alguma grande causa social? Virou médica, ou uma bem-sucedida profissional que não tenha ligação com sexo? Escreveu roteiros interessantes como a Brooke Busey (Diablo Cody,de Juno)? Não. Se tivesse seriam 2 extremos e poderia ser uma trajetória de vida interessante. Mas ela nem passa perto disso. Então por que alguém faria um filme sobre a vida dela? A tal Surfistinha só é a ex-prostitura que mantinha um diário virtual, muito do mal escrito, sobre os programas que fazia. Só. Ponto. Ah, não, esqueci. A Surfistinha também é a pessoa que teve a sorte de ganhar pais de coração quando não teve a mãe de sangue. Ela foi adotada, uma das maiores demonstrações de amor pelo próximo, por uma família que também oferecia do bom e do melhor, como ótimos colégios. Mas ainda assim, ficou revoltadinha, abusou das drogas, roubou quem a acolheu, caiu na vida e virou puta. Afinal de contas, os pais eram rígidos e botavam limites e regras, o que falta às crianças e adolescentes de hoje. Essa é Raquel Pacheco, a tal Bruna. E ela não faz mais nada do que continuar ganhando dinheiro as custas dos programas que fazia. A diferença é que os novos financiadores da boa vida dessa mulher agora são os leitores dos livros que ela lançou. Sei que a maioria comprou (e compra) para pegar dicas sobre sexo, mas francamente, dicas sobre sexo você encontra na internet, revistas e conversando com amigas. Agora, para completar, tem um filme sobre a vida dela estrelado pela Débora Secco, que falou de boca cheia no Fantástico do último domingo que é um pouco da Raquel Pacheco também. Ou seja, é um pouco da garota de programa que só fez lambança nos últimos anos. Isso é bonito? Eu não li nenhum dos livros, só entrei no blog UMA vez há séculos para saber quem era a fulana, mas são os atos que definem as pessoas. Entendo o drama de mulheres que passam fome e acabam se prostituindo para sustentar os filhos, por exemplo. Mas uma garota que teve uma vida regada a oportunidades, roubar os pais e fazer programas para ter um bom padrão de vida? Nem tem a desculpa que era para pagar a faculdade. Para mim é caráter zero. Que belo exemplo para as meninas mais novas “Se deu certo com ela, por que não dará certo comigo?”. Vou reformular a pergunta que fiz logo no começo. Ao invés de “Por que alguém faria um filme sobre a vida dela?”, questiono: “Por que alguém veria um filme sobre a vida dela?”. O único filme que poderiam produzir sobre a Surfistinha seria um pornô, que ela também já fez. Moça de família, né? O problema é que família até cachorro tem. Do meu suado dinheiro ela não verá um tostão. Não vou ajudar a engordar a conta dela. Ela que arrume um emprego, ou volte a fazer programas.

18 comentários:

Evandro Varella disse...

Dedinhos,

Esse post certamente dará margem a muita polêmica, rss, ainda mais agora que o molusco também tem seu filme...

Mas a lei é mais ou menos assim:

Tenho uma vaca e ela morre...
Então escrevo sobre a morte da vaca e ganho dinheiro pra comprar outra vaca!!!

Nada além de oportunismo.

Triste né...não que eu goste , mas é assim que funciona.

Beijos

carlosholzz disse...

acho mais interessante um filme sobre a Bruna do que um filme sobre o Lula........pelamordedeus heim.........outros "os filhos de Francisco" nao da......pelo menos o da pacheco vai ter muito 'Cecho".....quem quer ver como o Lula perdeu o dedo????????????eu nao!!!!!!!!!!!!!!!kkkkkkkkkk

Jou Jou Balangandã disse...

A frase do seu post que mais gostei foi: são os atos que definem as pessoas.


Infelizmente vivemos numa cultura que valoriza o trash ... outro dia recebi um email sobre o Cazuza que fazia uma análise mais ou menos como a sua. Acho que estamos escolhendo heróis errados.

An@Lu disse...

a resposta é simples: o filme é sobre sexo. e sexo vende. mais nada...

Ana Maria disse...

É Annocas, do seu dinheiro suado eu aposto que ela não tire um centavo mesmo, mas do seu precioso tempo ela já conseguiu alguns minutos.
Brasil!
Terra onde vestidos rosas permanecem mais de um mês na midia depois de um escandalo ridiculo, e putas muitas vezes se dão bem melhor do que nós, pobres trabalhadoras...
Snif!

Ana Maria disse...

É Annocas, do seu dinheiro suado eu aposto que ela não tire um centavo mesmo, mas do seu precioso tempo ela já conseguiu alguns minutos.
Brasil!
Terra onde vestidos rosas permanecem mais de um mês na midia depois de um escandalo ridiculo, e putas muitas vezes se dão bem melhor do que nós, pobres trabalhadoras...
Snif!

Dedinhos Nervosos disse...

Sobre a comparação do Lula com a Surfistinha. Não acho que tenha comparação. O homem era pobre, operário, ferrado e virou o presidente do Brasil. Acho que a trajetória de vida é grandiosa, sim, mesmo não aprovando o seu governo, não votando nele, e não prestigiando o tal filme. Aliás, lançar este filme ano que vem é 1 absurdo, por causa das eleições.

Já a Surfistinha, o que ela fez? Quem ela era e quem ela virou? A diferença está aí.

Dedinhos Nervosos disse...

Mas Ana,
É bom escrever sobre algo que a gente tem opinião formada. E sobre isso eu não mudo uma virgula. Não acho uma perda de tempo.
Beijos!

Ps. A moçoila de rosa ganhou 10 mim dinheiros para fazer aquela participação, sabia? Ai meus sais.

Ana Maria disse...

Tem razão..

Sobre a moçoila, sem comentários!

Mila Neri disse...

Bruna Surfistinha é somente um personagem, acho válido fazer filmes, sejam quais forem os personagens. Se eu fizer uma lista dos filmes que mais gosto, certamente a minoria deles tem uma mensagem nobre pra passar. Filme é entretenimento, educação são outros quinhentos.

Dedinhos Nervosos disse...

Não, Bruna Surfistinha não é somente uma personagem, é o nome de guerra da Rachel. O instrumento que ela usava para trabalhar a acompanhava tb nas horas vagas. Eu tb tenho uma boa lista de filmes que não tem nenhuma mensagem nobre, mas não se tratam de histórias verídicas. E o filme é sobre a história da vida dela: adotiva, ladra, drogada e prostituta. Sinto muito, mas nem tenho interesse em saber o lado bom dessa moça. Para mim, essas refer6encias já bastam. Rachel e a Bruna são a mesma pessoa. E que continua a ganhar grana por conta dos programas que fazia. Isso de um jeito ou de outro. Fato.

Ana disse...

Concordo plenamente. Vivemos uma inversão de valores hoje em dia que beira o absurdo. Imagine a cabeça das meninas: "vou pra faculdade pelada porque vou virar celebridade" ou "vou virar puta porque vou ficar famosa". Gente, pelamor, acordem! Que mundo é esse???? Não sou careta nao, nem moralista. mas as coisas ja passaram do limite ha muito tempo!

Mila Neri disse...

Eu não sei vocês, mas eu estou falando de cinema.

Dedinhos Nervosos disse...

Eu tb, Mila. E por gostar tanto de cinema é que acho o filme sem sentido. Filme sobre a vida da Bruna, era só o que me faltava.

Paula disse...

Anna,até que enfim eu ouvi uma opinião muito parecida com a minha. Nunca vi ou li o blog, nem cheguei perto do livro. Uma única vez ouvi um trecho do livro que me chocou em função do nível escatológico da coisa. Quanto à Débora Secco, acho que ninguém acertou tanto na escolha de uma "atriz" para interpretar essa garota de programa.
(me fala uma coisa, quem é essa tal do vestido rosa? Tô mais por fora que tudo..)

beijoca

Evandro Varella disse...

Dedinhos,

Assunto interessante mesmo.

Mas aqui longe de mim comparar o molusco com a Bruna...sabemos bem que eles tem trajetórias e histórias bem diferentes.

A ironia que me ocorreu quando mencionei o filme do Lula é que a Bruna trabalha no varejo, já o molusco no atacado.

Mas no fundo eu reconheço, mesmo discordando de muitas coisas (ex alto indíce de corrupção do gov) que o Lula até vai deixar um país muito melhor do que pegou.

Abração e ótimo fim de semana.

Será que sara disse...

Hhahahahaha ssem fim hahaha
Não acredito que existe uma dedinhos nervosos nessa vida...
e eu me achando que era a única pessoa do planeta com esse adjetivo... HAHAHAH
Q legal não acredito
esse apelido as meninas me derão não criei enventei ou copiei rsrs
eu post demais tem dias q nem da tempo para comentarem num já posto outro, e p mim é um horna ser uma dedinhos nervosos, mais honra ainda é conhecer outra dedinhos
hahahhaa

TA q agora vou ter q me conter e me achar menos afinal ñ sou mais a unica no universo :(, mais td bm rsrs

bjão e obrigada por passar no meu blog e se apresentar adoooorei...

bjos

j. hilton disse...

Muito bom teu ponto de vista, acho que não precisamos de mais maus exemplos do que já temos. O que se deve valorizar é a cultura do sef man, daquele que chega lá apesar dos percalços e não o exemplo de alguém que apesar de ser abandonada pela famíla biológica ganha uma família maravilhosa e joga tudo para o alto e ainda tenta passar a idéia de vítima1