Projeto Bunda Dura


É tão difícil começar a malhar. Tirando os esportes que pratiquei na infância e adolescência como natação, vôlei, basquete e muita queimada na rua e na hora do recreio, eu nunca fui muito chegada a fazer exercícios. Mas agora, 35 anos, sedentária, preguiçosa, lei da gravidade entrando em vigor e alguns modelitos derrapando nos malditos pneuzinhos, não tem mais como fugir da academia. Nem fugir, nem trapacear, como eu fazia na escola nas aulas de educação física.

Professor: Quantas abdominais?
Eu: 100! – e continuava baixinho, com 1 palmo de língua pra fora depois das 5 voltas no campo de futebol e trocentos polichinelos, – 51, 52...
É isso! Agora descobri da onde vem a minha implicância com exercícios de repetição. O trauma é antigo. Sabia que esse blog uma hora ia prestar pra alguma coisa.

Continuando o assunto, eu só entrei umas 3 vezes em academias e nunca esquentei lugar por mais de 3 meses. Mas agora vai ser diferente e eu vou botar essa bundinha para o alto e avante.

O primeiro passo foi escolher a atividade. Natação? Melhor não! Se eu tô me achando fora de forma, como vou colocar um maiô perto das marombeiras de plantão? Só se nadasse com roupa de mergulho. Aeróbica? Minha coordenação motora é péssima e não preciso perder peso, graças a Deus. GAP? Essa é ótima, mas bem puxada para quem fica cansada só de subir as escadas da agência. Pensei também naquela lá da bike que simula subidas, descidas e, no meu caso, quedas também. Se eu fizer a metade do que os professores mandam, eu tombo pro lado.

Acabei decidindo pela musculação, que tenho um pouco mais de intimidade. Intimidade assim, coisa de preliminar ainda. Estamos nos conhecendo melhor e, como todo início de relacionamento forçado, tem seus altos e baixos. Mas desta vez eu não vou pedir pra sair.

Depois da decisão, o momento crítico foi colocar a roupitcha, aquela coisa apertada e gritante: “olha como preciso malhar”. Olhei, olhei, virei pra lá, virei pra cá e a vontade mesmo foi de vestir uma burca. Chegando no centro de tortura, expliquei ao instrutor que eu quero ter o corpo da Juliana Paes, com os retoques do photoshop, claro. Fiz a avaliação física e ele montou a minha série inicial. Foi um choque. Além da malhação super-ultra-mega-hiper intensa, ia precisar de milhões de suplementos porque tenho a estrutura fina. Desisti imediatamente de ser a sósia corporal da Juli e preferi ser eu mesm. Ao menos não tenho aquela quantidade de celulite que a Playboy escondeu (inveja é uma merda). Só fazer uma recauchutagem já está de bom tamanho. E mantendo o tamanho 40, por favor.

Saí do burocrático e fui para o trabalho braçal. O cara ficou com pena de mim e passou uma série bem café com leite, mais do que o normal. Comecei pela esteira, 15 minutos, que passaram rapidamente porque eu estava distraída, lendo uma revista. A revista escorreu, caiu, eu pisei em cima, me atrapalhei e só não despenquei feito uma jaca porque sempre ando segurando na barra. Ótima estréia.

Depois fui para os aparelhos e o instrutor do meu lado, contando junto comigo, e falando: “Vai, mas devagar! Vai que o carnaval tá chegando! Vou ali e volto, e não enrola que eu tô de olho em você!”. Carrasco. E eu fazendo uma força do cão, sentindo o músculo queimar, a lágrima escorrer do canto do olho e louca para pular a contagem.

Quando a série dos aparelhos acabou, fui para os alteres (viu, já sei o nome), que são piores. Porque, pelo menos, no aparelho dá pra se apoiar. Mas os exercícios nos alteres deixam os braços livres e você não tem como disfarçar os momentos de tremedeira quando levanta um peso que ainda está se acostumando. Humilhante. Mas o pior mesmo foi olhar para o lado e ver uma mimosa (vaca malhada) levantando uns alteres com o triplo do tamanho do meu rosinha peso agulha, sem mexer nem a sobrancelha. Ridícula.

A minha série é pequenina e logo eu acabei. Antes de partir, o instrutor perguntou onde eu pensava que estava indo, que ainda tinha os exercícios abdominais. O famigerado abdominal. Ao ver o cochãozinho jogado no chão, eu pensei em tudo, menos em me dobrar ao meio. Ele avisou de novo que “ia ali e já voltava” e eu parei o exercício antes de completar. Fiquei jogada no chão, acabada. Não sabia se doía mais a barriga, o pescoço, as costas, ou a consciência. Ele, me vendo inerte, me perguntou aos berros, de onde estava, se eu tinha certeza de que tinha acabado. Praguejando, eu continuei e terminei a porcaria da série. E tenho feito direitinho desde a semana passada. Se eu senti muita dor logo no começo? Só quando eu respirava. Nada que um dorflex não desse jeito. Mas eu não vou pedir pra sair. Sei que se eu não me cuidar é ladeira abaixo. É agora ou nunca. Me aguardem.

16 comentários:

Srta. Rosa disse...

Uhú, ídala! Eu só malhei quando namorei um dono de academia, huahuahau... mas chego lá. Temos a mesma idade e os mesmos dramas. Quem sabe... mas acho que eu vou me lançar primeiro na hidroginástica. :))))

Besitos e suerte!

Re disse...

Dedinhos vai arrasar em Olinda!!!!
Isso mesmo malhando.... Vai, bunda dura....
Eu aqui na torcida
beijo
re

isaBela araújo silvA disse...

eu acho que vou me inspirar em você... morri d einveja da sua força de vontade, e olha que eu já não visto 40 faz tempo... kkkk.
eu te entendo e dou a maior força! vai que é tua.

Paula disse...

Você já experimentou Pilates? Eu, que sempre gostei da malhação, amo fazer Pilates. Tonifica músculos, enrijece e dá aquela esticada que precisaremos em idade muito mais avançada que a minha e a sua! Ah e o panceps e o bundex ficam uma maravilha!

p.s. quanto ao nome, menina, quem falou saci foi o Diretor da área de Inovação e Tecnologia! Eu contribui com mula sem cabeça... Mas foi tudo muito engraçado e divertido! Você sabe o que pode sair numa reunião desse tipo!

beijos

Cleyton disse...

Nem fale em academia... tô nessa tbm.. um saco malhar! E o bucho crescendo...

Alexandre disse...

Huhauhauahuahaua, perfect Anna! Vamos lá, força de vontade, 1, 2, 3... huahauahuahahua

Evandro Varella disse...

Fiquei cansado só de te ouvir contar...
Nós homens, por incrivel que pareça, passamos pelos mesmos dramas também.

Mas há que se ter humildade e persistência...

Tô torcendo por você também!!!

Abração

Lê... disse...

Caracass Anna,que coincidencia!!!!rs

Hj acordei disposta a entrar com tudo,todas as minhas garras,rs,nesse projeto bunda dura..alias no inverso dele...deixar de ser bunda mole!rss

beijão querida,boa semana pra ti.

lualil disse...

Meniiiiiiiiiiiiina.. tanto esforço!! Eu prefiro as caminhadas. Mas, olha tu vais abalar aqui em OLINDA!!!!!!!
WOWWWWWWWWWWW
vamos, malhando!! malhando!!!!
Não para, não para!!!! (ja sem os acentos, de acordo com a nova ortografia!! )
ahahahahahahah
beijos

Cláudia disse...

Já eu tô esperando a hora em que vão revogar a lei da gravidade.
beijo

D.Ramírez disse...

Continue malhando q vale..eu pior q tenho uma big academia no predio e mal desço..uma falha grande, mas um dia supero e faço pelo menos 2 x por semana...Preciso perdr a barriga q ta crescendo hahaha

Besos

Flávia D. disse...

Eu odeio academia!
Mas boa sorte! Faça uns exercicios por aquelas que não conseguem fazer...hehe
bjos

Flávia D. disse...

Eu odeio academia!
Mas boa sorte! Faça uns exercicios por aquelas que não conseguem fazer...hehe
bjos

Paula Nigro disse...

Eu ri do início ao fim.
Que máximo a tua descrição de tudo!!!
Adorei a "mimosa" - Vaca malhada!
Vc escreve bem práca...
Beijos

Karlinha disse...

Eu começo segunda de novo!rsrsrs!
Convence o Andy pra mim?rsrs!

Thiago Ciset disse...

to rindo muito lendo seu texto...hahahha, num to me ahguentado aki. depois dessa, vo criar vergonha na kra e entra numa academia tb..hahhahahah