Na Natureza Selvagem



Temos um objetivo e fechamos os olhos para todos os sinais que aparecem pelo caminho. Deixamos a determinação se transformar em obsessão. Ninguém, nem nada, possui tanto valor quanto concluir a jornada que traçamos. Não percebemos que alguns objetivos servem apenas para nos colocar em estradas que vão desembocar em outros nortes. Lugares onde devemos chegar, onde somos esperados. Mas nem sempre a arrogância em terminar o que começamos nos deixa enxergar os atalhos, curvas e retornos que imploram a serem seguidos. Quantas vezes o fim chega com o final feliz que procuramos?

Na Natureza Selvagem é baseado numa conhecida e emocionante história real. Brilhantemente dirigido pelo Sean Pen e estrelado por Emile Hirsch. Imperdível.

14 comentários:

Srta. Rosa disse...

Quantas vezes o fim chega já é pra se pensar...

Bezzos querida, sugestão anotada!

Lê... disse...

Oiê!
Não assisti...mas agradeço a dica!
Disseste tudo lindona...se a determinação vira obsessão,creio eu,há poucas chances da busca ser sadia e o final feliz...

beijão e boa semana!

D.Ramírez disse...

Pois é, o fim de algo depende de nossas vontades, como dizem, o resultado bom só depende de como pensamos. Bem legal;)
Besitos

Déa disse...

Vou anotar o filme. Tentarei ver em breve, embora eu acredite que sabendo o objetivo, devemos sim persistir. Mas já vi que você tem bom gosto e vou tentar o filme, assim que tiver um pouco de tempo.
Beijos

isaBela araújo silvA disse...

anna,
já estive com esse filme nas mãos por duas vezes... agora vou alugar mesmo. depois te conto. valeu pela dica!

Paula disse...

Engraçado, não faz uma semana me falaram desse filme e eu, achei que era uma dessas coisas super violentas, de americanos malucos que saem pelo mundo matando os outros por nada! Gostei do que vi e mais ainda do que você escreveu. Vou ver o filme!

beijos

Karlinha disse...

Eu já vi este filme e realmente é incrível!

Evandro Varella disse...

"Quantas vezes o fim chega com o final feliz que procuramos? "
É uma das perguntas que nem sempre temos como responder...
Ótimo tema, escreva mais sobre isso. Já vi que gosta do assunto.
Abraços

PS: Boa dica de filme!

Pedro disse...

Ô, nunca ouvi falar desse filme e agora tô morrendo de vontade de assisti-lo. Cinema, locadora, sessão da tarde? Onde consigo??

Beijo!

Re disse...

Anotado... verei! beijos e saudades de vc no msn...rs

Moni disse...

menina .. parece ótimo!! beijoss

Thaís disse...

"Eu já vivi muita coisa e agora acho que descobri o que preciso para ser feliz. Uma vida calma e sossegada no campo com possibilidade de ser útil a pessoas as quais é fácil fazer o bem, que não estão acostumadas a serem servidas e trabalho que se espera ser útil. Depois descanso, natureza, livros, música, amor pelo próximo. Essa é a minha idéias de felicidade. E aí, acima de tudo isso ter você como companheira e filhos talvez. O que mais o coração de um homem pode desejar?"

"E se eu corresse sorrindo direto para os seus braços? Veriam então o que eu eu vejo agora..."


Eu simplesmente amei esse filme. E chorei. Coisa muito rara.

Bjoooooooos

meus instantes e momentos disse...

muito bom voltar ao teu blog. Gosto daqui.
É bom voltar aqui.
Maurizio

Plinio Uhl disse...

menina, vc comentou q tinha visto, mas não pensei q tivesse gostado tanto! q bom! daqueles q nos deixam mais reflexivos sobre a nossa vida ao final.

bjuz