Vida AC - DC

Como disse antes, vou contar os primeiros dias Antes da Cirurgia e Depois da Cirurgia. Mas já adianto uma informação que muita mulher não sabe: "DÓI MUITO". E outra que é visível: "mas vale a pena" :o)

Dia D – 27/09 (5ª feira)
Antes: o Dr. Lindão fez vários rabiscos em mim. Eram estranhos e, como os médicos têm a letra horrível, achei até que poderia ser alguma anotação, sei lá. Entramos também no consenso de que ele não colocaria os 2 Everestes que ele queria. Escolhemos uma prótese de 250 ml.
Depois: DÓI PRA CARALEO!!! Ignorei os avisos da Érika – amiga aqui da agência e dona de um belo par - , mas dói mesmo!!! Mas o pior foi na hora de fazer xixi. Quando mamãe começou a levantar a cama, as dores me levaram às alturas. Não sabia o que era pior: a sensação de alguma coisa dentro de mim, o corte, a pele esticadérrima ou a falta de ar. Não conseguia respirar.
Quando cheguei ao banheiro, senti tanta, mas tanta dor, que quase desmaiei. Nessa hora eu me arrependi muito da vaidade.
- O que que eu tinha que ter inventado de mexer nesses peitos???
Depois disso só me atrevi a levantar no outro dia.


NOTA: o povo aqui da agência é DEMAIS!!! O Hospital onde fiquei é aqui atrás e, depois de um tempo, ouvi muitos gritos “ANNA!!!”. Era o povo me gritando e eu morrendo de rir e querendo muito chegar à janela pra dar 1 xauzinho.

2° dia – 28/09 (6ª feira)
Dr. Lindão me deu alta logo cedo e fui, linda, loura e de bracinhos inertes pra casa. A dor não dava trégua e encarei outro problema: deitar e levantar. Era sempre um horror. Além de não poder fazer nenhum dos 2 sozinha pra não forçar os pontos, a cicatriz parecia que ia abrir com os movimentos. E a falta de ar persistia. Eu ficava alguns minutos até respirar normalmente. Acabei dormindo no sofá, recostada numa almofadona e foi tarde porque Gabi passou lá em casa e botamos o papo em dia.


3° dia – 29/09 (sábado)
Novamente, problemas pra levantar. Achei melhor nem tirar um cochilo durante a tarde. E encarei meu 1° banho em casa. Como não podia molhar a cicatriz, só rolava da cintura pra baixo. O resto era com mamãe. Ela ensaboava uma toalhinha, passava em mim, depois passava outra toalhinha molhada pra depois enxugar com uma toalhona. Era um saco e ficava agoniada. Mas aí, via minhas lindas aquisições e tudo valia a pena. Fernando apareceu pra conferir o resultado. Ele gostou e isso é bom, porque tem um ótimo gosto.


4° dia – 30/09 (domingo)
Ainda sinto dor, mas já melhorou muito. Acordei novamente no sofá e precisei de ajuda pra levantar. A pior parte de tudo é isso. A dependência. O médico me mandou ficar sossegadinha, sem levantar os braços, pegar peso, essas coisas. Eu que não ia desobedecer o omi, né? Ainda mais que a cara da minha cicatriz vai depender disso. A grande aventura foi lavar os cabelos, que são compridos. Mamãe passou a manguerinha do chuveiro pela janela, eu quase deitei numa cadeira e ela os lavou no tanque, esfregando como se fosse roupa suja.


5° dia – 01/10 (2ª feira)
Já melhorei bastante e vim trabalhar. Os meninos ficaram agitados, mas não perderam a chance de me sacanear. Por conta dos movimentos comedidos, eles me chamaram de Roy, o dinossauro de braços curtinhos. Já consigo deitar sozinha porque aprendi a me jogar sem sentir que ia me estatelar na almofadona que levei pro quarto. Neste dia, fiquei 10 minutos gritando pra alguém me acudir. É que esqueci de pedir pra alguém tirar os 2 prendendores do cabelos.


7° dia - 03/10 (4ª feira)
O Dr. Lindão me ligou e disse pra eu tirar logo os pontos. Adorei isso. E foi rapidinho. Ele só deu um piquezinho nas pontas e deixou o resto. Ele disse que o tipo de “linha” usada ajuda a selar o corte. E fez a grande pergunta:
- Você anda sentindo falta de ar?
- Agora não muito, mas senti demais no começo.
- É normal, porque o silicone comprime o tórax.
- E você só me avisa disso agora???
Que médico louco! E eu quase pedindo um balão de oxigênio. Depois fiquei pensando... não sei como nenhuma peituda com mais de 400 ml nunca morreu sufocada.


9° dia – 04/10 (6ª feira)
Estou bem melhor, graças a Deus!!! Hoje provei um montão de vestidos de decotes diferentes. É que na semana que vem, vou levá-los pro primeiro passeio noturno. Apesar da dor que senti depois de tanta estripulia “levanta braço, puxa pra passar pelos peitos”, tive a grande certeza: foi uma das melhores compras que já fiz.

2 comentários:

gabi disse...

ahhhhhhhh
vc é péssimaaaaaaaaa
nem um comentário sobre a ligação q vc recebeu ainda na sala de espera do hospital, antes de operar!!!!!!!!
é assim q vc agradece a consideração né????
td bem, td bem....

Anna disse...

Obrigada, Fofa!!! É que eu tentei ser o mais breve possível!!! Mas vc, minha amiga querida me ligou de uma viagem só pra me desejar boa operação!!! Brigada!!! ahhaha