Madonna – God Save The Queen


Depois de tanta luta para comprar o ingresso VIP, a ficha realmente só caiu quando eu me vi paradinha na fila do Morumbi, sábado, ao lado do meu amigo Aguinaldo (Gui, para os íntimos) e atrás de centenas de pessoas que tinham chegado mais cedo. Depois de 15 longos anos e muitas turnês mundiais que não passaram por aqui, eu ia ver novamente a Madonna de perto! O estádio estava vazio, mas o palco, a passarela e as incontáveis parafernálias que ainda permaneciam apagadas e inertes já mostravam que aquele show ia ser apoteótico.

Gui já tinha ido ao show de 5ª feira e elegeu o lado esquerdo para ficarmos. Foi um ótimo lugar, muito, muito perto da passarela. Se a Madonna tropeçasse, despencava em cima da gente. Ao nosso redor, pessoas engraçadas, ansiosas e comunicativas. Depois de um tempo resolvemos sentar. Só levantamos às 20h, quando o mala do DJ tentou nos distrair antes da Diva dar o ar da graça. Não empolgou. Mas também, faça-me o favor. Fãs enlouquecidos esperavam por Ela e entra um DJ com cabelos lisos e franjinha de cortina. Ihhhhhhh... fooooooraaaaaa!!!... Nem os dançarinos conseguiram nos engambelar. Madonna! Madonna! Madonna! O Morumbi se agitava.

Lá pelas 21h começou a garoar, o que foi bom porque o calor estava ficando insuportável. Quando o atraso já chegava a quase 1:30, eu comecei a fazer umas imagens das arquibancadas lotadas. Queria registrar tudo. Quando concluí o giro de 360º, o palco começou a mostrar que estava vivo, e pulsava. Luzes, cores, movimentos inacreditáveis. A presença de Madonna, antes mesmo aparecer, já era eletrizante e emanava a energia da poderosa estrela que ela é.

Apesar de segurar a câmera firme e forte, eu parecia estar no meio de um terremoto, em alguns momentos. Terremoto, não, mas diante de um furacão que estava pra mostrar toda a sua força. Depois de alguns minutos de imagens psicodélicas e acordes de Candy Shop, a grande caixa luminosa se abriu e Madonna surgiu poderosa, majestosamente sentada em seu trono de rainha e exibindo uma inconfundível pose de puta. Maravilhosa! Delírio, gritos, pulos, lágrimas. O Morumbi cantou a música de abertura do início ao fim, parecia ensaiado. A Diva mostrava o seu poder.

Um espaço perto da passarela se abriu e eu, rata de shows que sou, me esquivei e consegui me aproximar ainda mais. 15 longos anos depois, Madonna se aproximava de mim em seu “calhambeque”. Ela desceu e dançou quase na minha frente. Vi seus olhos, sua boca, seu nariz, seus cabelos, tudo perto. Cara, era a Madonna! Tudo ao vivo, não em closes em revistas ou em vídeos no youtube. Era a Madonna, e estava ali! Foi enlouquecedor! Novo terremoto, eu me agarrei à câmera, mas consegui enquadrar por sorte porque não vi essa cena pelo visor da minha digital. A energia foi demais, transbordante. Chorei.

Muito simpática e sorridente, ela interagiu conosco. Conversou, brincou, instigou. Respodíamos com berros de YES, NO, e centenas de “I Love You!”. Tava na cara que ela estava se divertindo e se emocionando com a inflamada recepção brasileira. Prometeu que não vai demorar a voltar. Sei. Ouvi isso também no Maracanã há 15 anos. Espero que, desta vez, seja verdade.

E assim correu o show. Com alma, com o dedo certeiro de Madonna, com o coração dela. É totalmente coreografado, totalmente tecnológico, totalmente ousado, totalmente perfeito, e foi sem tombos. Só achei que o som deveria ser um pouco mais alto. Algumas vezes ela usava play-back. E daí? A Diva gasta energia dançando por 2 horas, sem muitas paradas, deixa a mulher tomar um pouco de fôlego, gente. Não dá pra esquecer que não é um show comum, do tipo que dá pra virar pro lado e conversar por 2 minutos com um amigo. Time is funny. Ela é a Rainha do Pop, da música dançante. O que faz de Madonna tão especial é ela ser infinitamente maior do que a música que canta, apesar de ter uma boa voz. Ela É o show. Essa é a diferença. Ela é a Madonna.

GAME OVER. 2 horas depois, Madonna sai do palco mandando beijos e berrando “Thank you, São Paulo!”. Além da emoção, tive a certeza de que valeu cada centavo, cada minuto, para ter passado aqueles momentos diante da Diva.

Vou dividir com você algumas fotos. Claro que poderia pegar várias melhores de algum site. Mas não teriam a minha visão do espetáculo. Também fiz alguns vídeos, mas ainda não sei quando conseguirei postar todos. Espero que goste dos que já estão abaixo.

7 comentários:

Aguinaldo disse...

Estou em lágrimas. I LOVE YOU !

Paula disse...

O melhor do seu post - que é fantástico por ser super real - é quando você fala que ela entra com uma inconfundível pose de puta. Só ela consegue fazer isso, não é? Eu acho ela o máximo, com play back, sem dançarino, ela é ela, insuperável!

beijo

Cleyton disse...

ai, que vontade de ter ido...rs

Lê... disse...

Ahh que deliciia de show!Amei!

Querida,vim desejar um lindo 2009 pra ti,em paz e com saúde!
Que seja um ano de realizações!

beijão

Pelirroja disse...

Imagino a emoção de ver a DIVA pertinho. Não pudei ir ao show, mas pelo seu e por outros posts de outros blogs fiquei sabendo de cada de detalhezinho.
Madonna é a rainha, não importa se faz playback em algumas músicas... Não é?

Beijos e um 2009 cheio de luz e paz!
=*

Re disse...

Vendo assim parece tao facil... rs
vou falar o outro lado... estou trabalhando para estas 2 horas desde junho!!!!
Durante o show do dia 18 eu quase morri de dor nas pernas, do dia 20, quase fui presa por um juiz safado querendo invadir o portao, barrei e ele me deu voz de prisao, fui quase algemada... no dia 21... ah! dia 21 eu ia me divertir, era meu niver, entao, fui para a pista vip, dancei tanto, tanto, tanto, que quase que fui engatinhando para a festa pós show, que era o paraiso. Porem eu estava molhada da chuva, sem pernas por ficar 12 horas por dia em pe, suja por motivos obvios... me senti a feia da festa onde as celebridades estavam de Prada e eu? descabelada!
Nunca mais trabalho num show, mas foi incrivel e o melhor foi ver como pessoas como vc se divertem a partir do pouqinho do meu trabalho...
beijos Anna, pena, pena mesmo que nao te vi...rs
Re

isaBela araújo silvA disse...

eu devo ser a única no planeta que não sou fã da diva, mas sem dúvida consigo entender e admirar o trabalho dela. adorei seu post. deve ter sido uma delícia mesmo.