DEPOIS DO THE END – A Fantástica Fábrica de Chocolate

- Não moça. Pela última vez, não existem chocolates Willy Wonka Zero.
- Nem com menos calorias?
- Não. São todos iguais.
- Calóricos e engordativos.
- Exatamente.
- Bem, então... nada feito – e a mocinha, espremida numa calça jeans e barriga de fora, saiu batendo a porta de vidro com sininhos.
O dono da lojinha passou a mão pela careca, tentando domar o topete que ele ainda acredita existir. Estava nervoso.
- Agora me fala, Deuclídes. Pra que essa tábua precisa de chocolate Zero? Você viu as costelas? Dá até pra fazer um reco-reco.
- A moda agora é Zero, seu Agenor. As pessoas comem, comem, comem e, pra aliviar a consciência, pedem um refri Zero, um doce Zero, uma palhaçada Zero.
- Eu já falei isso pro Wonka e sabe o que ele me respondeu?
Deuclídes sacudiu a cabeça.
- Que prefere ter um Rei Momo como garoto propaganda do que fazer doces Zero.
- Que isso, seu Agenor!
- Pois é. Disse que altera o sabor, mas me pareceu outra coisa. E sabe do que mais? Isso não pode continuar. Eu vou ligar pra reclamar.
Deuclídes arregalou os olhos enquanto seu Agenor sacudia o telefone como se o coitado fosse a goela do Wonka.
- Ele já tem dinheiro o suficiente para as três próximas encarnações. E o meu mal dá pra esta.
No segundo toque, para a surpresa de seu Agenor, uma mocinha atendeu.
- Boa tarde... – disse seu Agenor, inseguro, imaginando onde estaria o Ompa Loompa telefonista – é da Fantástica Fábrica de Chocolate?
- Sim, quem está falando?
- Aqui é Senhor Agenor.
- Em que posso estar ajudando, Sr. Agenor?
- Eu quero falar com o Wonka. Pode passar o ramal?
- Ah, mas isso eu não posso estar fazendo.
- Por quê?
- Porque o Sr. Wonka não está querendo atender qualquer um.
- Quem é você? – disse intrigado.
- Eu sou a esposa dos Ompa Loompa. Estou querendo dizer, de um deles.
O queixo de seu Agenor caiu.
- Os Ompa Loompa têm esposas? Têm irmãs, tias, mães? – disse embasbacado.
- Claro que têm mães. Está achando que eles brotam da terra? Ou melhor, do chocolate? – a moça começou a ficar irritada – Eu sempre estive sabendo que a gente nunca representou nada pra eles. Mas isso já está sendo demais.
- Não, Dona Ompa... – e parou, sem saber do que chamar a mulher.
- Está querendo saber saber? – perguntou aos berros. – Vou estar te passando pro todo poderoso. Tomara que você seja um desses repórteres fofoqueiros.
Seu Agenor tomou um susto tão grande que deixou o fone cair no chão.
- O que foi seu Agenor? O Sr. está pálido – perguntou Deuclídes.
- Deuclídes! Existem mulheres Ompa Loompa. Pega a extensão – e fez sinal de silêncio porque, no mesmo instante, um homem atendeu a ligação.
- Wonka falando.
- Sr. Wonka! Os Ompa Loompa têm esposas?
- Você é jornalista? – perguntou, apreensivo.
- Não, eu sou...
- Menos mal – cortou Wonka, aliviado. – Não sei até quando vou conseguir abafar esse assunto. Como soube?
- A Ompa, quer dizer, a mocinha que atendeu a ligação deixou escapar – disse seu Agenor, meio sem graça. – Como isso aconteceu?
- Você acha que os Ompa Loompa brotam da terra? Ou melhor, do chocolate? – disse Wonka, impaciente.
- É... não... hum... – disse sem saber o que dizer, seu Agenor.
- Sempre pensei que fossem clones... – disse Deuclídes, se intrometendo na conversa. – ou, sei lá, Gremlins do chocolate...
- Antes fossem, antes fossem. Mas eles têm mães, irmãs, tias e... – Wonka baixou o tom de voz. – sogras.
- O que?! – seu Agenor não conseguia acreditar.
- Sogras. Os Ompa Loompa têm sogras. E elas sabem um monte de musiquinhas. Uma para cada situação. Todas criadas na hora.
- Pobres Ompa Loompa – disse seu Agenor, com amargura.
- E o pior você não sabe – falou Wonka, com um fio de voz.
- O que pode ser pior do que uma sogra repentista? – assustou-se Deuclídes.
- As esposas.
- São iguais às mães? – seu Agenor apertou o fone na orelha.
- Elas são iguais a eles.
- Deus é mais! – gritou de pavor, Deuclídes, ao imaginar a versão Ompa Loompa de saias.
- E agora resolveram que não querem mais ser.
- Totalmente compreensível. Totalmente compreensível – afirmou seu Agenor.
- Você não entende?! – Wonka estava realmente apavorado. – Agora elas querem ser diferentes. Ter cabelos diferentes, roupas diferentes. Fazer tatuagem, botar piercing. Algumas querem até dirigir e usar salto alto. Várias estão na enfermaria com os tornozelos torcidos.
Seu Agenor começou a sentir pena do Wonka.
- Os Ompa Loompa não conseguem mais trabalhar em paz. Elas reclamam que eles nunca conversam. Querem atenção! São carentes e barraqueiras. Minha produção nunca foi tão baixa.
- E o Charlie? – quis saber Deuclídes.
- O que tem Charlie? – perguntou na defensiva.
- Ele não é seu braço direito? – continuou.
- O problema é que sou canhoto – disse desgostoso.
- Então, ele não está ajudando? – insistiu Deuclídes.
- O Charlie está num spa – respondeu a contra-gosto.
- Mas ele sempre foi tão magricela – disse seu Agenor.
- E nem parecia ser guloso – completou Deuclides.
- Ele não era de comer muito. Até o dia em que leu uma reportagem: "Chocolate substitui o sexo". Antigamente não tinha mulher na fábrica. E o Charlie em plena adolescência – disse, pesaroso.
- Ele deve estar uma bola – falou Deuclídes, com um risinho maldoso.
- Então tá, Sr. Wonka. Mais sorte pro senhor – disse seu Agenor, querendo acabar o papo. Estava começando a ficar deprimido.
- Pera aí. Quem tá falando? – perguntou Wonka.
- Aqui é seu Agenor, da lojinha da esquina.
- Ah sim, seu Agenor. Mas por que o senhor ligou?
- Eu gostaria de saber, Sr. Wonka, quando vai começar a fabricar doces Zero.
O silêncio do outro lado da linha foi tão grande, que seu Agenor pensou que a ligação tivesse caído.
- Sr. Wonka?
- Nunca, Seu Agenor! Eu NUNCA vou fabricar doces Zero. Primeiro porque as Ompa Loompa estão loucas pra que isso aconteça. Muitas estão engordando e pensam que vão ficar iguais ao Charlie. Até já espalhei fotos dele pela empresa. Algumas já foram embora.
Nesse momento, o sininho da porta tilintou e outra magrela de barriga de fora entrou na lojinha. Dava pra ler "Zero" piscando na testa.
- Segundo, - Wonka continuou – vai que o próprio Charle se anima a voltar e, no desespero, se engraça com alguma delas?
Seu Agenor estava paralisado. Aquele era um caso perdido. Não sabia se odiava mais as Ompa Loompa ou aquele maldito umbigo que implorava por baixa caloria. Ficou muito irritado com o Wonka, depois que ela pediu um chocolate Zero. Nem reparou que desligou o telefone na cara dele.
- Por que você não pára de fazer doce e leva um desses, heim? – quase implorou seu Agenor, com um sorriso.
- Moço, eu não faço doce – falou com voz fina, antes de sair batendo a porta de vidro com sininhos – e, se fizesse, seria um doce Zero.



Ps. Se você gostou do estilo, tem outro aqui: http://dezdedinhos.blogspot.com/2008/07/depois-do-end-et-guerra-dos-mundos.html

21 comentários:

Anônimo disse...

ADORO a Fantástica Fábrica de Chocolate, parabéns pelo blog!

Tchau

Anônimo disse...

ADORO a Fantástica Fábrica de Chocolate, parabéns pelo blog!

Tchau

João da Silva disse...

Hahahahaha! Li e me diverti muito. E olhe que por trás do humor senti aqui uma crítica muito inteligente a determinados hm... hábitos? modismos? ou à ditadura da estética e outras, que a mídia nos impõe todo santo dia, como dogmas que por si nos excomungam?
Adorei. Humor inteligente, crítica com pano de fundo, tudo o que há de melhor.
Obrigado, linda, pela visita. Posso fazer um link?
Beijos do João

Kacau disse...

Agora eu ri demais.Sensacional!
Quantas surpresas,até to com pena do Wonka!

cai lá na nossa festa,vc esta convidada:
http://messnatural.blogspot.com/

blog disse...

Ótima crônica/conto, e olhe que tenho certa implicância com a Fábrica. Mesmo depois de ter ouvido Sammy Davis cantando Candy Man.
Valeu, Dedinhos. Muito boa, mas nada como ouvir uma boa crítica debochada aos gerundismos.
É o que de melhor há.

isaBela araújo silvA disse...

huahauahuahau.
como toda gordinha, feminista , chocólatra e revolucionária, adorei seu texto.
abaixo aos umbigos esteticamente bem colocados numa barriga taquinho! eu quero mais uma barriguinha de chopp mesmo! e feliz da vida!

Ariana disse...

adorei o texto!
eu simplesmente amo o Wonka! o/
UHAIHAUI
parabéns pelo blog.

beijos :*

http://cogumelosverdes.blogspot.com

Paula disse...

Putz, adorei, adorei, adorei. Fantástico o texto! Mas eu sou chocólatra, assumidíssima e para mim, chocolate é chocolate. Não dá prá ser zero, tô com o Wonka e não abro. Se eu já era fã do cara, agora sou mais ainda!

beijos, Dedinhos!

P.Winter disse...

Oi,Dedinhos
Diverti-me demais com seu texto...Adoro a Fantástica Fábrica de Chocolate e o wonka é demais.
Mas,gostaria que as mulheres parassem com essa mania de Zero...deviam voltar à escola e pedir zero...aí,levariam um susto.

grande beijo

moni disse...

uiuiu... chocolate.. post perfeito pra mim kkkkk
beijos

Kacau disse...

Vai lá no meu blog que tem um presente pra vc!

http://www.messnatural.blogspot.com/

superdorinha disse...

COMO ASSIM EXISTEM MULHERES OMPAS LOOMPAS? Acho que terei que voltar depois... vou ali comer um chocolate para me recuperar desse baque =x
ps: pois eu vou processar o wonka por não fazer chocolate zero! Sabia que existem diabéticos(as) que gostariam de comer um chocolate wonka? Tô com as Ompa nesse caso, (in)felizmente.

Lê... disse...

Ah que post delicioso!
Mas essa de chocolate zero,gosto não!
Qto mais recheado de tudo que engorda melhor!
Sou uma formiguinha...rs

beijo.

Re disse...

Só vc para imaginar algo assim.... Amei....
beijo
Re

meus instantes e momentos disse...

muito bom . Gosto de voltar aqui, apareça.
Tenha um belo final de semana.
Maurizio

Roberto Camara Jr. disse...

Putz!

Ainda bem que sou careta e não curto drogas por que senão com certeza teria uma overdose!

Este seu texto é uma viagem que nem a melhor - ou será que eu deveria dizer a pior? - e mais pesada droga conseguiria chegar perto!
M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!!!

Um grande beijo,

Marcelo disse...

Ficou muito bom. Adoro estas histórias que são recriadas a partir de outro foco narrativo. Acho isso genial. Bom, se você o gênero, aí vai uma dica: Assista a "Deu louca na Chapeuzinho"...

Muito bom, a cara do tipo de texto que você fez.
Muio bom mesmo.

Pedro disse...

Dedinhos, Dedinhos... que figura você é. Isso que você tomou, eu também quero tomar. E sem ser Zero, de preferência.
Vai escrever bem assim lá em casa.

Bjo!

Carolina disse...

( gargalhadas) Amei o texto! Muito bom!!!!
Mulheres ompa loompa...
kakakaka
bjos meus

D.Ramírez disse...

:)

Marcio Sarge disse...

Texto maravilhoso moa, daqueles que dá vontade de reler e contar aos amigos.

Agora sou obrigado a voltar sempre aqui rs

beijos