Um poço de perigo

Minha mãe era o cão quando pequena. Minha avó conta uma história muito engraçada de quando ela tinha uns 4 anos. Nessa época, quase todos os vizinhos tinham 1 poço em casa. E na maioria das vezes, esses poços eram tampados por uns pedaços de madeira. Um absurdo total. Esse era o desespero da minha família porque a casa ao lado da minha tinha uma ameaça dessa. Bastava mamãe se aproximar do muro para alguém sair correndo em direção a ela falando:

- Não vai pra lá, minha filha. Aquilo ali é um perigo! É um perigo!

Isso sempre se repetia. Alguém da família mostrava o poço e falava que era um perigo! (com exclamação mesmo). E olha que a Samara ainda nem era conhecida. Até que um dia, mamãe sumiu. Procuraram por todos os lados. Olharam embaixo das camas, dentro dos guarda-roupas, atrás das cortinas e nada dela. Depois de um tempão, começaram a gritar o nome dela pelo quintal até que ela respondeu.

- Tô aqui!
- Aqui aonde, menina?!
- Tô aqui, no perigo!

Ela estava sentada em cima dos pedaços velhos de madeira, exatamente sobre a boca do poço.

13 comentários:

Renatinha disse...

Que perigo!!!!!!!!!!
rs
beijos
Re

Evandro Varella disse...

Dedinhos,
Estória de gelar o coração...
E sua vovó? Tá boazinha agora?

Abraços

disse...

hhahaaa!! Q perigo heim! Mas foi engraçado!!

bjo

Dedinhos Nervosos disse...

Evandro, vc é sempre mto gentil, obrigada pela preocupação :o)
Ela está bem melhor agora, graças a Deus. Acho que o remédio agora está certeiro :o)
Beijos!

Srta. Rosa disse...

Hahaha, como se não bastasse desafiar o perigo o negócio e sentar em cima dele. Amei!

E, sei não, sei não, tô achando que há qualquer relação entre o perigo e o post-foto-eletrocardiograma.

Binguei?

Besitos,

Paula disse...

Criança é uma coisa, né? Sempre gostei de ouvir histórias dos meus pais quando crianças (meu pai era fera no estilingue!)

beijocas

Ana disse...

Nossa, adorei sua mae. Senta em cima do perigo, corajosa!!!
:)

IsABela araÚjo siLVA disse...

Hahahaha. Maravilhosa essa história que me lembrou outra... nem sei quem são os personagens, nem mesmo se são reais, mas amo essas conversas de criança. Vamos lá: estava o pai sozinho em casa com o menino. Pai na sala lendo jornal, criança sozinha na cozinha, quando ouve-se um barulho alto de coisa quebrando no chão. O pai grita assustado: - o que foi isso meu filho?? e o menino sem pestanejar: - nada pai, não é nada! é mentira do barulho!
Hahahaha. Beijo pra sua mãe.

Flávia D. disse...

hehehe..só esqueceram de dizer pra ela o que significava o "perigo"...
bjos

FERNANDO disse...

Menina família, você. Nesse universo de bloguistas, raro se deparar com tanta referência familiar.

Ana Maria disse...

hahahha.. acho que essa coisa de "perigo" mais me chama do que afasta..

Cláudia disse...

Eu, criança que comia a comida da cadela da madrinha da minha irmã(tinham de esconder a comida da Mirinda quando íamos lá), passava cocô pelo berço, pelas paredes e degustava um tantinho, lavava o cabelo na água do vaso sanitário e puxava as gavetas da mesinha de cabeceira pelo simples prazer de vê-las despencar no chão, ainda que entre elas e o chão existissem meus pezinhos, entendo bem a sua mãe.
Porque o povo fala, mas não explica: vai saber que diabos é "um perigo"?
beijo

marcella disse...

eu ja cai numa cisterna, serve? rsrsrs