12ª parada – Pousada do Bita

O dia foi tão perfeito que eu estava elétrica. Fiquei na rede conversando com Marlene, cunhada de Bita, dono da Pousada, durante um tempão enquanto lutava com os nós dos cabelos. Contei tudo e ela acompanhava atentamente o relato, rindo das minhas palhaçadas. Quando cheguei no quarto, Carlos tirava um cochilo. Mais tarde, ele me salvou a vida quando tive um piripaque. Isso também merece um post exclusivo de agradecimento.

Um comentário:

carlosholzz disse...

vc quase me matou!!!!!!!!!!!!
kkkkkkkkkkkkkkkk
quero carne.......mas com arroz......e se nao tiver arroz?....mas euq uero arroz.......mas pode estar tudo fechado......mas eu quero carne com aroizinho.......kkkkkkkk.....la fiu eu.....voltei com a sopa de carne garimpada......e dentro da vasilha de plastico que tava na geladeira cheia de camarao........kkkkkkkkkkkkkkkk